Instagram Youtube Flickr

Revista GNU | Cumplicidade além das páginas

“A escola tinha um grande guardião…”. Assim começa o desenrolar da trama ‘O Mistério do Colégio Alipus’, o livro infanto-juvenil que fascina, não só pelo enredo contado em 160 páginas, como pela história por detrás dos seus capítulos.

A conexão entre Duda Chaieb, de 12 anos, e seu pai, Paulo Caroli, sempre foi forte, mas com o intuito de passar mais tempo com a filha, o pai – que já tem alguns livros publicados na área de Tecnologia da Informação (TI) – resolveu instigar a menina com um desafio: escreverem juntos um livro.

No começo, tudo parecia uma grande brincadeira, mas depois de um tempo com a ideia engavetada, a vontade de colocá-la no papel ressurgiu.

Foi o lúdico entre pai e filha sendo resgatado. Nas férias deste ano, quando nasceu a minha filha caçula, eu acordava cedo para cuidar da bebezinha e, enquanto ela dormia, eu escrevia. Duda se divertia com os amigos durante o dia e, quando voltava para casa em horário previamente determinado, abria o computador e conversávamos sobre o desenrolar das histórias e seus personagens. E muitas vezes reescrevíamos os trechos – destaca Paulo.

 

Parceria de almas

O que parecia ser apenas uma atividade intelectual e de incentivo à leitura acabou construindo uma parceria de almas, o que fica bem evidente ao observar os olhares de pai e filha se cruzando, em total cumplicidade.

A gente começou a escrever por diversão, porque era algo legal, que a gente gostava de fazer. Ficamos empolgados e a história foi crescendo – comemora a jovem.

Com uma bagagem cultural que inclui livros de Aghata Christie, filmes de terror e séries, Duda conta que as letras passaram a fazer parte da sua rotina.

Desde esta experiência com meu pai, escrevo muita poesia e textos para meus amigos ou, simplesmente, para guardar pensamentos – revela a escritora mirim.

Com uma leitura leve e envolvente, “O Mistério do Colégio Alipus” trata de assuntos de extrema importância para os adolescentes e que o pai, Paulo, analisa como uma forma de abrir diálogo entre os diferentes públicos.

O legal deste livro é a maneira como temas difíceis são introduzidos. Creio que nossa história pode auxiliar pais e professores na hora da abordagem de assuntos delicados com os adolescentes – avalia.

Essa dupla já é um sucesso dentro e fora das páginas. Se você ficou com vontade de conhecer um pouco mais sobre ‘O Mistério do Colégio Alipus’, pode acessar o site exclusivo sobre o livro. Por aqui, vamos torcendo para que a história se transforme numa série e, quem sabe, a próxima trama não aconteça dentro do Grêmio Náutico União.

 

Foto: Divulgação