Instagram Youtube Flickr

Esporte solidário: crianças de comunidade paulista participam de competição no GNU

Entre as cerca de 150 crianças de 9 a 15 anos de todo o Brasil que disputam o Torneio Infantil Mario Queiroz e Torneio Nacional Pré-Cadete, nove delas enxergam a esgrima como mais que um esporte. Através do Projeto Mosqueteiros de Paraisópolis,a modalidade possibilitou a elas conhecer outras cidades, viajar de avião, sair da comunidade e vislumbrar um novo futuro.

Mantido pela Associação Brasileira de Esgrimistas, que reúne atletas, ex-atletas e pais, foi criado há três anos e atende crianças de 7 a 14 anos da maior favela de São Paulo. As aulas ocorrem duas vezes por semana, uma hora e meia no ginásio do Centro Educacional ( CEU), espaço cedido pela Prefeitura Municipal. Clubes de todo o Brasil doam os equipamentos utilizados pelas crianças.

Os alunos costumam participar de competições em âmbito estadual. Para possibilitar a vinda das crianças ao torneio no Clube, foi feita uma vaquinha online, que arrecadou R$ 15 mil e custeou as passagens e alimentação das crianças e um treinador. Além disso, o GNU ofereceu hospedagem aos jovens esgrimistas.

 

Primeira vez

Não acostumados a sair da comunidade, a vinda para a competição representou a primeira vez que muitos andaram de avião. Também pela primeira vez em Porto Alegre, logo na chegada ao Clube, o que chamou a atenção das crianças foi algo rotineiro aos unionistas, a piscina. A comida local também foi bastante elogiada. Realidades distintas unidas pelo esporte.

Esta foi a primeira vez que eles viajaram e dormiram fora de casa, teve uma menina que sentiu muito o calor, porque eles não estão acostumados a usar a roupa e também a jogar com a marcação eletrônica. Teve um menino que jogou com uma bota, pois não tinha tênis. São passos que vamos aos poucos vencendo e tornam o trabalho muito prazeroso – contou o treinador Welton Fernandes da Silva.

O projeto conta com o apoio de treinadores de clubes tradicionais de São Paulo. Uma das participantes do projeto, Aryane Pinto, que chegou ao quadro de oito, já nas eliminatórias, foi convidada durante a competição para treinar em um clube paulista.

As crianças do projeto disputam as provas de Florete, espada e Sabre entre sexta (10) e domingo (12), na Sede Moinhos de Vento. Organizados pela Confederação Brasileira de Esgrima ( CBE) e Grêmio Náutico União, o Torneio Infantil Mario Queiroz e o Torneio Nacional Pré-cadete tem a participação de cerca de 150 atletas de 11 agremiações diferentes. A entrada é franca para o público em geral.

 

Foto: Rosele Sanchotene/CBE