Instagram Youtube Flickr

Semana Gastronômica do União Cooks

Estão abertas as inscrições para a Semana Gastronômica do União Cooks, nos dias 13 a 17 de abril, no Centro Gastronômico do União, sede Alto Petrópolis.

Com o tema a ‘volta ao mundo em cinco dias’ as aulas podem ser realizadas separadamente (valor diferenciado caso tenha interesse de se inscrever nas 5 aulas) e cada encontro tem duração de 3h cada aula.

Inscrições abertas na secretaria da Confraria União Cooks, sede Alto Petrópolis. Para Clientes Zaffari Card e Bourbon Card desconto de 10% nas inscrições. Informações pelo telefone (51) 3025.3860
Agenda

13/04 – Gastronomia Peruana, com Chef Mauro Souza e um chef convidado do Peru

14/04 – Gastronomia Italiana, com Chef Alexandre Baggio

15/04 – Cozinha Brasileira, com Chef FelippeSicca

16/04 – Cozinha Asiática, com a Chef Flavia Silveira

17/04 – Culinária Mediterrânea do norte da África com Chef Mamadou Sénne

 

Conheça o perfil dos chefs que darão a ‘Volta ao Mundo em cinco dias’ com você:

Mauro Souza

Com 15 anos, começou na cozinha, pois quando era criança sempre admirava muito sua mãe, que cozinhava para os 11 filhos com muito amor. O irmão foi para o Rio de Janeiro e levou Mauro para fazer faxina na cozinha. Mas o garoto, esperto, ficava observando os cozinheiros.

Passou, com o tempo, para chapeiro e ficou na função por dois anos. Durante esse tempo, o menino tinha mudado de fase na vida, fez 17 anos, e o chef o chamou para ser ajudante, função em que permaneceu durante um ano.

Mas o sonho do menino que veio do Ceará era trabalhar no Hotel Sheraton. O chef lhe indicou para ser ajudante de cozinha, isso em 1986, quando, então, o adolescente passou por todos os setores do hotel. Fez inglês e alemão para entender os hóspedes e os chefs que trabalhavam na cozinha dos restaurantes do hotel.

Quando voltou ao Brasil, assumiu como sub-chef geral do Restaurante Valentino’s, do Rio Sheraton Hotel, onde ficou por quatro anos. Como chef executivo esteve à frente do Sheraton Recife, Sheraton Mofarrej, em São Paulo, e, em 2003, chegou ao Hotel Sheraton de Porto Alegre.

Em 2008, foi indicado pela revista Gula como um dos mais aplaudidos chefs do Rio Grande do Sul.
Alexandre Baggio

O chef Alexandre Baggio tem uma relação afetiva com a gastronomia. Desde a infância teve convívio com a cozinha; acompanhava caçadas e pescarias com o pai e o avô, além das fartas e demoradas refeições em família. Dessas relações ficou preservado o costume de valorizar os ingredientes locais, orgânicos e da época.

Baggio é formado em Hotelaria e também na Escola Italiana de Gastronomia-ICIF. Estagiou com o mestre Alex Atala, no seu cultuado restaurante DOM, em São Paulo – escola fundamental para a valorização dos ingredientes brasileiros. Nas duas vezes que esteve na Itália reforçou a questão de ingredientes locais/regionais. Além disso, teve restaurantes na Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e trabalhou anos com confeitaria.

Atualmente é professor do curso de Gastronomia da Unisinos e é o líder do Slow Food Sul, que busca disseminar o conceito do movimento (conceito da ecogastronomia, conjugando o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta, preocupando-se com os aspectos sócio-culturais envolvidos com os alimentos) em solo gaúcho.
Felippe Sica

Ele passou boa parte da infância em Salvador, Bahia. Da terra de Jorge Amado e Dorival Caymmi, trouxe tenras lembranças do vatapá, do acarajé e do bobó. Mas, nascido em Porto Alegre, suas raízes gaúchas também falam alto, tendo como referências fundamentais o carreteiro, o churrasco e outros pratos típicos sulinos.

Passou por três conceituados restaurantes em Porto Alegre. O Chez Philippe, de cozinha clássica francesa, foi um deles. Ali aprendeu a valorizar o produto local, ingredientes mais frescos da região, uma característica dos cozinheiros franceses. “Aprendi desde cedo a valorizar o que é local, o melhor é o que está mais perto de você, não o que está longe”, diz.

Depois passou pelo Constantino Café, encerrando no Koh Pee Pee, o grande templo da gastronomia tailandesa da cidade, onde predomina outra abordagem gastronômica – mas que, assim como a francesa, também respeita os ingredientes frescos e locais.

Com essas vivências tão diferenciadas, só poderíamos ter um chef eclético, transitando entre carnes e frutos do mar, com fortes ligações de produtos locais. Uma das suas preocupações é exatamente inserir nossos produtos locais nas receitas, principalmente francesas, para “colocar uma pitadinha do Rio Grande do Sul”.
Flávia Silveira

Com formação Superior em Gastronomia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2006), Flavia Silveira atualmente é coordenadora do Curso de Especialização em Gestão e Gastronomia. Mas, sua vida está também fora das salas de aula, assim a teoria vira prática.

Com ampla experiência como Chef, já comandou grandes cozinhas que lhe deram uma visão gastronômica muito ampla. Flávia estará demonstrando sua grande qualidade através da cozinha asiática na noite do dia 16.

Mamadou Sène

O chef senegalês Mamadou Sène, é professor de cursos profissionais no SENAC. Sua língua materna de Mamadou é o wolof, mas a alfabetização foi feita em francês, seguindo a tradição do Senegal.

Formou-se em Gastronomia na França, contemplado com uma bolsa de estudos do governo do Senegal. Trabalhando nas redes de hotéis Meridian e Club Mediterranée conheceu o embaixador do Brasil no Senegal, João Cabral de Melo Neto e passou a fazer banquetes na embaixada. Foi pela intermediação do embaixador Cabral de Melo que Mamadou veio para o Brasil em 1979 aprender a nossa cozinha. Hoje este respeitado chef dedica-se à docência do curso de gastronomia do Senac.

Com uma ampla bagagem internacional o Chef irá desvendar os mistérios gastronômicos do norte da África, através de temperos, sabores e cores.



Aplicativo GNU

Skip to content