Instagram Youtube Flickr

Vem aí a 30ª edição do Projeto Verão

A vivência do lúdico e da atividade física com segurança e disciplina. Este é o Projeto Verão que completa trinta anos em 2020 e faz parte da história do Grêmio Náutico União. Nasceu com objetivo de ser uma colônia de férias para a garotada, mas hoje ganha também a função de deixar pais e mães mais tranquilos ao entregarem seus filhos em férias escolares em um local com toda a infraestrutura e que ainda oferece a experimentação de diversas modalidades esportivas.Nesta edição, em especial, o projeto envolverá duas sedes unionistas: Alto Petrópolis e Moinhos de Vento.

São quatro semanas cheias no mês de janeiro e que têm vagas disputadas. Podem participar crianças de cinco anos a 12 anos. Lorenzo Hocevar Schaan tem nove anos, e desde os cinco frequenta as atividades do Projeto Verão. “Eu gosto de fazer novos amigos, que depois encontro na piscina do Clube. Já pratiquei esportes que eu nem conhecia e acabei fazendo ao longo do ano”, diz o pequeno atleta. Lorenzo diz que já experimentou esgrima, basquete e judô, o que contribuiu para que ele escolhesse permanecer em algumas destas atividades fora do projeto. Hoje ele concilia as aulas da semana com a prática de futebol e judô. “Não estou ansioso porque já sei como funciona. Mas sempre fico feliz quando chega a época do projeto porque sei que vou conhecer amigos”.

O pai de Lorenzo, Luis Alberto Schaan afirma que sempre busca para o filho, nos períodos em que ele não tem aulas regulares, alguma atividade que promova a saúde e a atividade física. “Buscamos atividades que sejam leves, mas ao mesmo tempo promovam a movimentação e ativem a saúde, evitando os eletrônicos”, explica. “No GNU ficamos muito tranquilos, pois é tudo organizado. O Lorenzo é diabético, então a alimentação dele é controlada, tem o departamento médico e a assessoria dos professores em modalidades que ele nem conhecia”, destaca. A vivência com crianças diferentes dos colegas da escola também é vista com bons olhos pelo pai. “Nem sempre os colegas de escola frequentam as piscinas do Clube. A partir da vivência no projeto, o Lorenzo tem mais companhias nos dias de verão.”

O coordenador de Serviços Esportivos do GNU, Luis Gustavo Hillesheim, diz que o perfil dos participantes do projeto muda a cada ano e desafia os professores. “Tirar as crianças dos eletrônicos com atividades atrativas e seguras é a grande missão.”

Hillesheim afirma que dezenas de profissionais e funcionários trabalham intensamente para garantir que as crianças levem as melhores lembranças da ação. “Temos o envolvimento direto com a rotina de quase trezentas crianças durante todas as tardes das quatro semanas de janeiro”.

O coordenador afirma que a intenção é apresentar as modalidades de uma forma lúdica, sem esquecer a parte técnica. “Na esgrima, eles vão conhecer as armas e o tipo de roupa, que são as principais curiosidades da criançada neste esporte”. No judô, explica Hillesheim, eles vão colocar o quimono, receber quedas e fazer brincadeiras que envolvam golpes. Já na natação, vão ter contato com a iniciação dos nados e atividades com bote para falar sobre o remo.

“O objetivo do projeto, na natação, por exemplo, não é ensinar a nadar. É uma aula mais lúdica, na qual a criança poderá desenvolver o interesse de prosseguir fora do período da iniciativa”, explica. “Não é para elas serem cobradas nem ficarem estressadas. Afinal, trata-se de uma colônia de férias. Por isso é um contato inicial bem recreativo, mas com disciplina para a melhor convivência.”

O coordenador de esgrima do GNU, Alexandre Teixeira comemora ao mencionar pesquisa realizada entre os participantes. “A esgrima foi o segundo esporte mais lembrado, atrás apenas da natação, que é o esporte que eles mais vivenciam, por ser verão”, revela. “A lutinha de espadas está no imaginário das crianças.”

Além de recreativo e educativo, o Projeto Verão acaba revelando talentos. Muitos atletas do clube conheceram suas modalidades durante a atividade. É o caso do esgrimista Guilherme Toldo, medalhista pan-americano e atleta olímpico. Além de Guilherme, outros nomes destacados na esgrima do GNU descobriram a modalidade no Projeto Verão, como Gabriela Cecchini, Bernardo Sanchotene, Diego Frantz e Pedro Maróstega.

A ginástica rítmica também é pouco conhecida das crianças até que ingressem no projeto. Conforme a coordenadora do departamento de Ginástica Rítmica do GNU, Patrícia Fontana, o esporte desenvolve a coordenação motora e as habilidades motoras de locomoção, estabilização e manipulação. “A prática da GR no Clube é caracterizada pela integração professor-aluno e aluno-aluno, tendo como objetivo ajudar a criança a sentir-se feliz, tornando uma prática prazerosa”. Segundo Patrícia, a grande contribuição do Projeto Verão é justamente oportunizar esta vivência com a Ginástica Rítmica para que os alunos se ambientem com a modalidade e venham a ter interesse em praticá-la futuramente.



Skip to content