Instagram Youtube Flickr

Semana do Autocuidado: Penúltimo dia de lives foca em imunidade e saúde emocional

O penúltimo dia de lives da Semana do Autocuidado – Saúde física e emocional em tempos de pandemia, trouxe para o foco do debate dois termos que dão nome ao evento: autocuidado e saúde emocional. No fim da manhã, a nutricionista Marina Branco tratou sobre aumento da imunidade a partir de uma abordagem nutricional. Ou seja, o autocuidado do título deste evento foi trazido para o centro da discussão. Com suas dicas e conhecimentos, poderemos cuidar melhor da alimentação e melhorar a nossa imunidade.

Já no fim da tarde, a psicóloga Paula Pereira jogou luz sobre nossa saúde emocional, trazendo, inclusive, exercícios para que a gente possa driblar alguns obstáculos que se apresentam com o passar dos dias distante do normal que conhecemos. Entender o momento é essencial para que consigamos entendermos a nós mesmos. Caso você não tenha conseguido acompanhar as lives, abaixo separamos um resumo das conversas.

> Não sabe do que estamos falando? Descubra o que é a Semana do Autocuidado

 

“Como reforçar a imunidade com estratégias nutricionais”, com Marina Branco

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma preocupação ainda maior com o nosso sistema imunológico. Capaz de promover uma grande barreira de proteção, a imunidade garante o reconhecimento de células e substância estranhas, como vírus, bactérias e fungos, que podem afetar negativamente a nossa saúde. Ela é capaz de destruir ou neutralizar estes invasores. Mas, para isso, é precisa estar em pleno funcionamento. E é nesta questão que a nutrição é a sua maior aliada.

“Queixas intestinais, aparecimento fácil de alergias, cansaço em excesso, dor de cabeço, peso no corpo, retenção de líquido, alterações na menstruação, entre outros sintomas, podem denunciar uma baixa imunidade”, explicou a nutricionista do Clube, Marina Branco. Quando ela está debilitada, ficamos mais propensos a ter pequenas e grandes infecções, como resfriados, gripes e a própria Covid-19. Mas vale lembrar que nenhum alimento, nutriente ou vitamina pode prevenir por si só a cura destas doenças. O ideal é fortalecer as células de defesa do corpo para que elas previnam as infecções.

Clique aqui para assistir a entrevista completa

 

“É possível crescer com essa experiência?”, com Paula Pereira

As emoções estão muito relacionadas às fases pelas quais estamos passando. Semelhante ao processo de luto, os estágios da quarentena se resumem a negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. Sem uma ordem definida para ocorrer, elas podem ser vivenciadas mais de uma vez durante o processo ou até num único dia. Estar ciente disso é sinônimo de equilíbrio e harmonia. “Dá pra aproveitar o confinamento para olhar mais pra si mesmo. Alguns atletas utilizaram a raiva que sentiram em algum momento para transformar em motivação”, contou Paula Pereira.

Quando reconhecemos as nossas emoções, aprendemos a gerenciá-las e passamos por cada um destes estágios, a evolução está próxima. Vivemos em tres zonas: medo, aprendizado e crescimento. “Estas fases de regulação emocional podem nos deixar mais confusos e ansiosos. Mas na zona do crescimento estamos mais otimistas quanto às perspectivas para o futuro. É quando nos adaptamos e nos reinventamos. É nesta zona que nós mudamos efetivamente”, finalizou.

Clique aqui para assistir a entrevista completa



Skip to content