Instagram Youtube Flickr

Conheça Maria Carolina Santiago, unionista com vaga confirmada para Tóquio

“Na minha terra dizem que eu sou a pernambucana mais gaúcha que existe”. É com esse espírito que Maria Carolina Gomes Santiago vem conquistando resultados incríveis na nossa equipe paralímpica de natação. Natural de Recife, 35 anos, ela começou a nadar com 8, por influência do irmão e também pelo baixo impacto da natação, que pode ser praticada sem riscos à visão.

Maria Carolina possui “Morning Glory”, uma síndrome que atinge o nervo ótico e deixa a visão com capacidade de 30%. Ela conheceu o Clube pelas maratonas aquáticas e desde 2018 é nossa atleta de natação paralímpica. “O GNU foi bem importante na minha transição da natação convencional para paralímpica, estão comigo desde o início. Essa transição me deu mais qualidade e mais segurança para nadar, foram adaptações que me facilitaram muito a desempenhar o esporte de alto rendimento”, conta Maria Carolina.

Entre as competições mais marcantes, estão: Open Internacional em São Paulo, Panamericano no Peru e Mundial em Londres. Todas em 2019. No Mundial ela fez história, com medalhas de ouro nas provas de 50 e 100m livres e a disputa lado a lada com as melhores do mundo. “O hino nacional do Brasil tocou porque nosso trabalho foi bem feito, ganhamos ouro, foi um momento inesquecível”, relembra.

Faltaria espaço nessa legenda para contar cada medalha que Maria Carolina já conquistou pelo União. Em 2021, ela quer mais. A pernambucana teve sua classificação confirmada em outubro de 2019, quando o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) divulgou os critérios de classificação. Por ter sido medalhista de ouro no mundial de Londres, conquistou a vaga.

“Antes da pandemia eu estava ansiosa, querendo que chegasse logo o momento de estar competindo com os melhores, de viver essa experiência, mas agora, no momento em que estamos vivendo, continuo animada, mas é um animada mais contida. Vão ser novos desafios e uma experiência diferente, mas estou preparada”, afirma. 

O esporte ensinou a ela que é preciso ter disciplina, treinar muito e correr atrás dos seus objetivos. Na natação paralímpica do União Maria Carolina se sente em casa. “Sou realmente grata ao esporte, sou uma pessoa melhor por causa dele”, finaliza.

O Grêmio Náutico União é grato por ser uma das escolhas de vida da Maria Carolina, estamos na torcida!

 

Foto: João Mattos Fotografia



Aplicativo GNU

Skip to content