Instagram Youtube Flickr

GNU encerra participação na Seletiva Paralímpica de Natação com 2 índices e recorde mundial quebrado

Encerrou-se nesse sábado, 5 de junho, a Seletiva Paralímpica de Natação, promovida pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e realizada no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, com resultados históricos para o Grêmio Náutico União (GNU). O time unionista esteve representado por José Luiz Perdigão Maia (S11), Maria Carolina Gomes Santiago (S12), Roberto Alcalde Rodrigues (SB5/SM6), Ruiter Antônio Gonçalves Silva (S9) e Susana Schnarndorf (S4/SM4) que disputaram, ao todo, 14 provas.

O destaque da competição ficou por conta de Ruiter Silva e Susana Schnarndorf, que nadaram abaixo do índice paralímpico nos 50m livre S9 e 150m medley SM4, respectivamente, e para Carol Santiago, que quebrou o recorde mundial dos 50m livre em sua categoria.

> Entenda aqui como se definem as classes da natação paralímpica

Primeiro dia de Provas rende índice paralímpico e Recordes ao GNU

Já no dia 2 de junho, primeiro dia de provas, Susana Schnarndorf nadou abaixo do índice paralímpico estabelecido para a prova dos 150m medley na classe SM4. Com o tempo de 3:05.75 a nadadora gaúcha encaminha a classificação para Tóquio é, de quebra, estabelece o novo recorde brasileiro da prova, que já era dela. A tarde, Susana nadou novamente a prova mas sem buscar melhorar a marca.

Estou extremamente feliz de ter conquistado o índice. Eu travo uma batalha diariamente por conta da minha deficiência. Tive que reaprender a nadar literalmente, mas nunca deixei de acreditar no meu sonho — Susana Schnarndorf, em entrevista ao CPB.

Além do índice, a segunda-feira reservou aos atletas unionistas a quebra de dois recordes das américas! Primeiro, Maria Carolina Santiago nadou os 100m livre classe S12 em 58.98 e pulverizou os antigos recordes das américas e brasileiro (59.66). Depois de Carol, Ruiter Silva caiu na água também para a provas dos 100m livre, classe S9, e estabeleceu o novo recorde das américas e brasileiro com o tempo de 56.64, melhorando as marcas que já eram dele (57.05).

Embora tenham estabelecido novos recordes, Carol Santiago não busca classificação, pois já tem vaga garantida por seu desempenho no Mundial de 2019. Já para Ruiter a prova dos 100m livre não integra o programa paralímpico para a classe S9, mas o coloca como postulante a integrar o revezamento masculino 4x100m livre 34 pontos.

Ainda na segunda-feira, Roberto Alcalde disputou os 200m medley classe SM6 em busca do índice de 2:51.09. Após finalizar a prova em 3:11.90 a vaga não veio, mas o nadador teria uma segunda chance nos 100m peito SB5, no sábado.

No feriado, índices tiram folga

Na quinta-feira, feriado de Corpus Christi, apenas dois atletas caíram na água em busca do índice. Susana Schnarndorf nadou a prova dos 50m costas S4 com tempo de 1:00.07, acima dos 56.81 estabelecidos como índice classificatório. Quem também tentou a vaga foi José Luiz Perdigão Maia na prova dos 100m borboleta classe S11. O jovem nadador de apenas 21 anos finalizou a prova em 1:08.27, 1,5 segundos acima do índice (1:06.77).

Na seletiva, GNU “sextou” com Recorde Mundial de Carol Santiago e índice de Ruiter Silva

Se a quinta-feira foi pouco movimentada, a sexta foi pequena para tanta euforia! Já pela manhã, Ruiter Silva abriu os trabalhos atingindo o índice paralímpico na prova dos 50m livre, classe S9, com o tempo de 26.10, abaixo dos 26.37 necessários. A tarde, mesmo com a meta batida, o goiano caiu na piscina para baixar ainda mais a marca, cravando 26.04. O tempo também rendeu a melhora no recorde brasileiro da prova, que já era dele (26.46).

José Perdigão Maia também foi em busca do índice nos 50m livre S11, mas a exemplo dos 100m borboleta a vaga escapou por pouco. O atleta fechou a prova em 28.76, enquanto o índice era de 27.03.

Mas foi nos 50m livre feminino que o Centro de Treinamento vibrou como se a medalha paralímpica tivesse sido conquistada. Maria Carolina Santiago nadou a prova pela manhã em 26.93 na classe S12, apenas 3 centésimos acima do recorde mundial da prova (26.90). E quando ela caiu na água a tarde todos sabiam que a unionista colocaria o seu nome ao lado da marca mundial. Não deu outra. Com 26.72 Maria Carolina Gomes Santiago é agora a Recordista Mundial nos 50m livre S12!

Foi uma grande emoção! A gente já perseguia esse recorde há muito tempo, mesmo antes de Londres. Assim como os 100m livre, que consegui descer da barreira dos 59s, nos 50m livre a dos 27s, foi muito difícil. Foi muito trabalho da comissão técnica, muita dedicação da minha parte também e esse recorde foi só um atestado do brilhante trabalho que está sendo feito — Carol Santiago, em entrevista ao CPB.

Como se um recorde não fosse suficiente, Carol ainda bateu o recorde brasileiro dos 100m costas classe S12, com o tempo de 1:09.64, melhorando a marca que já pertencia a ela. Ainda na quinta, Susana nadou os 50m livre S4 e fechou a prova com 48.18, acima do índice de 43.25.

Sábado fecha a seletiva com batida na trave para o GNU

No último dia para os atletas buscarem a tão sonhada vaga paralímpica, três unionistas caem na piscina. Susana Schnarndorf disputou os 200m livre (tempo não confirmado até o fechamento dessa matéria), a prova, no entanto, não integra o programa paralímpico na classe S4 e Maria Carolina Santiago nadou os 100m peito S12 em 1:18.53. O unionista Roberto Alcalde chegou chegou perto, mas ficou fora dos Jogos por uma braçada! Ele finalizou os 100m peito classe SB5 em 1:37.05, acima dos 1:36.02 estabelecidos.

Com o fim da seletiva paralímpica, Ruiter Silva e Susana Schnarndorf aguardam a validação da elegibilidade pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC) e a convocação oficial do CPB, que deve ocorrer até o fim deste mês, para poderem, enfim, comemorar, ajustar os últimos detalhes e se juntar a Carol Santiago representando o Brasil e o GNU na tão sonhada Paralimpíadas de Tóquio.

 

Confira o desempenho de cada unionista

Ruiter Antônio Gonçalves Silva
50m livre S9 – 26.04 – Índice Paralímpico, Recorde Brasileiro
100m livre S9 – 56.64 – Recorde das Américas e Brasileiro

Susana Schnarndorf
150m medley SM4 – 3:05.75 – Índice Paralímpico e Recorde Brasileiro
50m costas S4 – 1:00.07
50m livre S4 – 48.18
200m livre S4 – Tempo não confirmado até o fechamento dessa matéria

Maria Carolina Gomes Santiago
50m livre S12 – 26.72 – Recorde Mundial
100m livre S12 – 58.98 – Recorde das Américas e Brasileiro
100m costas S12 – 1:09.64 – Recorde Brasileiro
100m peito S12 – 1:18.53

José Luiz Perdigão Maia
50m livre S11 – 28.76
100m borboleta S11 – 1:08.27

Roberto Alcalde Gonçalves
200m medley SM6 – 3:11.90
100m peito SB5 – 1:37.05

 

Fotos desta matéria: Ale Cabral / CPB

  • Susana Schnarndorf sorri após alcançar índice paralímpico nos 150m medley SM4. Foto: Ale Cabral / CPB

  • Ruiter Silva agradece após Recorde das Américas na prova dos 100m livre S9. Foto: Ale Cabral / CPB

  • Maria Carolina Santiago sorri ainda na piscina após Recorde Mundial nos 50m livre S12. Foto: Ale Cabral / CPB



Skip to content